Ajude o Instituto Mário Penna

"Ontem, recebi minha alta depois de 7 anos de tratamento e acompanhamento dessa ótima instituição e toda a sua equipe."

O que causa o câncer?

30/01/2018 Por: Instituto Mário Penna Categoria: Fale com um especialista

São inúmeros os fatores que podem levar ao surgimento do câncer. Dividimos as causas em  internas (ou geneticamente programadas) e externas, sendo esta última responsável por cerca de 80% a 90% dos casos.

Nas causas externas, encontramos os fatores ambientais e hábitos de vida, tais como exposição ao álcool e tabaco (grandes responsáveis pelo surgimento dos tumores de cabeça/pescoço e tumores de pulmão), exposição excessiva ao sol (responsáveis pelos tumores de pele), fatores dietéticos (comida super processada, excesso de gordura e açúcar , que podem levar aos tumores de intestino) e exposição a certos tipos de vírus (que podem causar leucemia, tumores de colo uterino e até mesmo de garganta).

Os elementos ambientais que alteram as estruturas das células do corpo, podendo desencadear o câncer, são chamados carcinógenos. Sabe-se que, quanto maior a frequência e intensidade com que os indivíduos são expostos a estes carcinógenos, maior a chance do surgimento da doença.

Isso explica porque o câncer é geralmente mais comum em idosos: tais indivíduos foram expostos por um maior número de anos aos elementos carcinogênicos. Some-se a isso o fato de o próprio envelhecimento das células aumentar a chance de transformações malignas.

Na menor parte das vezes (cerca de 10%), os tumores ocorrem devido a fatores hereditários. Nesses casos, o indivíduo apresenta uma predisposição genética para desenvolver determinados tipos de tumores, independente da exposição aos fatores externos/carcinógenos. Tais tumores são comuns em crianças (como o retinoplastoma, por exemplo), mas, também, podem aparecer em adultos, como é o caso de tumores de mama, estômago e intestino.

Como prevenir o câncer?

Tendo em vista que a grande maioria dos casos de câncer são causados por fatores externos, torna-se de extrema importância nos atentarmos para as mudanças de hábitos de vida.

Para começar, evite exposição ao cigarro e às bebidas alcoólicas.

A adoção de exercícios físicos, associados a uma dieta equilibrada, rica em frutas, verduras, legumes e cereais integrais, são atitudes indicadas em inúmeras pesquisas como responsáveis pela redução em cerca de 1/3 dos casos de câncer. Isso ocorre porque alguns alimentos (como frutas, legumes e verduras) funcionam como antioxidantes, fornecendo ao organismo substâncias imprescindíveis para combater os radicais livres que atacam as células e geram erros de divisão celular – e, consequentemente, a multiplicação descontrolada delas.

Incluir mais fibras na alimentação diária é um bom começo, uma vez que, no intestino, ajudam na “limpeza” de substâncias que são consideradas agentes promotores do câncer, por auxiliar, de maneira muito eficiente, na eliminação das fezes.

Além de dieta e exercícios, também é importante que as pessoas se protejam do sol com bonés, camisetas e óculos escuros com lentes de boa qualidade e evitem exposição solar entre 10h e 16h. Use protetor solar diariamente, e não apenas quando for realizar atividades ao ar livre, e observe regularmente sua pele, procurando por pintas ou manchas suspeitas.

Homens e mulheres devem estar sempre atentos às mudanças no corpo e realizar os exames preventivos (mamografia e papanicolau para as mulheres, PSA/toque retal para os homens) sempre que recomendado. Muitos exames simples ajudam a detectar precocemente a presença do câncer e, com isso, aumentam significativamente as chances de cura.

Consulte um médico especialista ao menos uma vez ao ano.

Por:

Dra. Graziella Pilo Rodrigues Martins
Médica Oncologista do Instituto Mário Penna.

Compartilhe essa notícia: