Ajude o Instituto Mário Penna

"Ontem, recebi minha alta depois de 7 anos de tratamento e acompanhamento dessa ótima instituição e toda a sua equipe."

Novembro azul – A conscientização da prevenção do câncer de próstata.

06/11/2018 Por: Instituto Mário Penna Categoria:



Novembro Azul alerta os homens para a importância da prevenção do câncer de próstata.

O câncer de próstata é o segundo em incidência entre homens no Brasil. É também a segunda maior causa de morte pela doença no País. Por isso, no mês em que a prevenção do câncer de próstata tem destaque com o Novembro Azul, o Instituto Mário Penna chama a atenção e mobiliza os homens de todas as idades para os cuidados contínuos com a saúde.

De acordo com a Superintendente Hospitalar do Instituto Mário Penna, Drª Carolina Mourão, a recomendação para prevenção do câncer de próstata é a consulta periódica ao urologista. “É ele quem determinará quais exames são necessários e que podem ajudar a diagnosticar mais precocemente o câncer. Dessa forma, queremos alertar os homens sobre a importância de procurar o médico e fazer seus exames”, afirma. A médica também reforça que hábitos de vida saudáveis e dieta adequada com a ingestão de frutas e vegetais, além da prática de atividades físicas podem contribuir para o não aparecimento do tumor de próstata.

Como se cuidar

Dentre os objetivos do Novembro Azul está alertar os homens sobre a importância de se cuidar. No caso do câncer de próstata, não precisa aparecer um sintoma para começar a procurar um médico, é o que afirma a equipe de Urologistas do Instituto Mário Penna. Para os homens que querem saber como se prevenir do câncer de próstata, a orientação para a avaliação da saúde prostática é que comecem com os exames de toque a partir dos 50 anos. Para indivíduos com histórico familiar de câncer de próstata ou que já apresentam problemas urinários, esses exames preventivos devem iniciar aos 45 anos. Os urologistas também recomendam a realização de um exame de PSA antígeno prostático específico (via coleta sanguínea), por volta de 40 anos para definição do nível basal de cada indivíduo.

A superintendente hospitalar do Instituto afirma ainda que a campanha é importante para reduzir os índices de diagnósticos tardios, quando as chances de cura são menores. “O foco da Campanha é, principalmente, os homens de 45 a 70 anos que não procuram atendimento médico devido a crenças e pré-conceitos que impedem que ele compareça à consulta com um urologista para o exame físico apropriado”, afirma Dra. Carolina Mourão.

Diagnóstico

A Sociedade Brasileira de Urologia recomenda que todos os homens a partir de 50 anos consultem um urologista. Em pacientes com irmãos ou pai com história de câncer, essa primeira consulta deve ser realizada aos 45 anos. Esse contato com o urologista pode prevenir que a doença seja diagnosticada já em situações em que o câncer se apresente em estados avançados e incuráveis.
O diagnóstico do câncer de próstata é realizado, inicialmente, através do toque retal e exame de sangue (PSA). Outro exame que vem se mostrando importante para o diagnóstico da doença é a ressonância nuclear magnética da próstata. Em casos suspeitos, deve-se realizar a biópsia prostática guiada por ultrassom, o que trará o diagnóstico patológico da doença.

Tratamento

Existem diferentes tipos de tratamento para o Câncer de Próstata. Entre as opções estão a cirurgia de retirada da próstata, a radioterapia e hormonioterapia. Todas as opções apresentam riscos e benefícios – e estes deverão ser amplamente discutidos com a equipe que realizará o tratamento.
Outra opção, em alguns casos, é a vigilância ativa. Nesta, o paciente com câncer de próstata é acompanhado sistematicamente e intervenções realizadas em caso de progressão da doença.

O Instituto Mário Penna em números

O Instituto Mário Penna é uma das principais instituições filantrópicas de saúde de Minas Gerais e é composto pelos Hospitais Mário Penna e Luxemburgo, a Casa de Apoio Beatriz Ferraz e o Núcleo de Ensino e Pesquisa. O Instituto tem mais de 60% dos seus pacientes provenientes do SUS e responde por cerca de 70% dos atendimentos dos novos casos de câncer da Região Metropolitana de Belo Horizonte e mais de 20% do total de novos casos de câncer em todo o estado.

A instituição atende a pacientes de cerca 760 municípios mineiros. Em 2017, realizou 240 mil sessões de radioterapia, 33 mil de quimioterapia, 100 mil consultas, 1,2 milhões de procedimentos e 60 transplantes de medula óssea. Para 2018, a expectativa é que as doações ajudem a manter o pleno funcionamento das unidades do Instituto Mário Penna, ameaçado pela situação econômica vivida pelo país e Minas Gerais.

Compartilhe essa notícia:
Outras notícias de

Nenhuma notícia encontrada.