Ajude o Instituto Mário Penna

"Ontem, recebi minha alta depois de 7 anos de tratamento e acompanhamento dessa ótima instituição e toda a sua equipe."

Descubra os mitos e verdades sobre o câncer de testículo

18/04/2018 Por: Instituto Mário Penna Categoria: Mitos e Verdades



Apesar de ser o câncer masculino mais frequente entre os 15 e 35 anos, o câncer de testículo é considerado um tipo de câncer pouco frequente se compararmos com outros (cerca de 5% do total dos tumores malignos masculinos). Muitas dúvidas surgem sobre o tema, uma vez que o foco se volta para o câncer de próstata.

Tem cura?

Sim! O câncer de testículo chega a taxas de cura de mais de 95%. É um tumor que se tratado de forma correta, mesmo para os casos diagnosticados com metástases pulmonares, conseguimos a cura em mais de 80% dos casos.

Em países desenvolvidos, como os nórdicos, as taxas de cura são um pouco melhores do que países em desenvolvimento.
O tratamento do câncer de testículo é fundamentalmente multidisciplinar. Dentre os profissionais que fazem parte deste time estão os urologistas, radioterapeutas, oncologistas clínicos, psicólogos e especialistas em fertilidade.

Quem teve câncer de testículo pode ter filhos?

Sim! Estatisticamente indivíduos portadores de CA de testículo já são menos candidatos a engravidar, talvez por alterações celulares e genéticas de ambos testículos. É importante saber que somente com um testículo e possível engravidar sua parceira.

Para aqueles pacientes que necessitaram receber quimioterapia como parte do tratamento, a chance de infertilidade temporária ou definitivamente aumenta muito. Estes pacientes sempre devem ser orientados a possibilidade de criopreservação de espermatozoides.

 Esse câncer mata?

Infelizmente mata. No ano de 2015 foram diagnosticados em todo mundo cerca de 686.000 pacientes com CA-T e cerca de 9.400 faleceram do câncer.

O que fazer para evitar ou diagnosticar mais cedo?

O tumor de testículo em geral inicia com o aparecimento de um nódulo (tumor) endurecido, solido e indolor em um dos lados do escroto. A queixa de peso e desconforto no testículo ou virilha é na grande maioria das vezes o que inicialmente chama a atenção do paciente.

A história de algum trauma muitas vezes acompanha as queixas, no entanto na maioria das vezes esse trauma não está relacionado ao aparecimento do câncer.

Indivíduos que possuem o testículo fora da bolsa, o que é conhecido como criptorquidia ou distopia testicular são muito mais sujeitos a desenvolver tumores testiculares do que a população normal.

É muito importante orientar a população de risco (jovens e adolescentes) a realizar o autoexame do testículo pelo menos 1x/mês. Sempre que houver alguma dúvida vale uma visita a um médico de confiança.

Como a maioria dos demais tumores malignos, bons hábitos de vida são benéficos. Atividade física regular reduz o risco de CA de test.

Andar de bicicleta aumenta o risco de CA testículo?

Não há estudos que comprovem esta afirmação.

 Quem tem câncer de um lado tem maior risco de ter do outro lado?

Menos de 1% dos indivíduos com CA de testículo possuem tumores em ambos os lados.

Se você tem alguma dúvida sobre o assunto tratado neste post ou deseja obter alguma informação específica, entre em contato conosco! Teremos prazer em ajudá-lo.

Dr. Walter Cabral, médico de Urologista do Instituto Mário Penna

Compartilhe essa notícia: