Ajude o Instituto Mário Penna

"Ontem, recebi minha alta depois de 7 anos de tratamento e acompanhamento dessa ótima instituição e toda a sua equipe."

5 passos para prevenir feridas (escaras) por pressão no paciente acamado em domicílio

23/05/2018 Por: Instituto Mário Penna Categoria: Saúde e Câncer



Preparamos alguns passos para você prevenir feridas em pacientes acamados. Sabemos que é uma situação complexa e que requer ajuda de profissionais, porém certos cuidados devem ser tomados sempre.

Os cuidados paliativos são definidos pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como uma abordagem que promove a qualidade de vida aos pacientes e seus familiares que enfrentam problemas associados às doenças que ameaçam a continuidade da vida por meio da prevenção e do alívio do sofrimento. Requer identificação precoce, avaliação e tratamento da dor e outros problemas de natureza biopsicossocial e religiosa (ANCP, 2009).

A realização de cuidados paliativos em casa favorece a participação e empoderamento da família no cuidado, e contribui para a redução da ansiedade por parte do paciente e de seus familiares ( Moro, Caliri, 2016).

Um dos cuidados necessários em pessoas em cuidados paliativos no domicílio é a manutenção da pele integra e sem feridas. As pessoas que não conseguem se movimentar e ficam acamadas ou sentadas por muito tempo na mesma posição podem apresentar lesão por pressão conhecidas por escaras ou feridas. Estas feridas podem surgir em qualquer parte do corpo onde tenha ossos salientes, principalmente em nádegas, regiões laterais da coxa, entre os joelhos e calcanhares (Moro, Caliri, 2016).

Quando a pessoa não tem controle da urina e fezes e tem dificuldades para ter uma boa alimentação o problema pode se agravar, mas existem medidas que podem ser utilizadas para diminuir o problema (BRASIL, 2013): 

Manter a pele sempre limpa, seca e hidratada

– Evite o uso de água quente e utilize sabão suave, de preferência sem cor, para não causar irritação ou ressecamento da pele;
– Deve-se aplicar creme hidratante, sem cor e sem cheiro, após o banho para evitar o ressecamento da pele;- Não massagear as regiões com ossos salientes se observar pele vermelha, com manchas roxas ou bolhas, pois indica o início da escara e a massagem vai causar mais danos.

Uso de fralda descartável

– Se a pessoa não tem controle da urina e/ou fezes use fraldas descartáveis ou absorventes e troque o mais rápido possível. O uso de pomadas como hipoglós® (óxido de zinco) forma uma barreira na pele que impede o contato com a umidade;
– Se utilizar hipoglós® (óxido de zinco), não esfregar a pele, retirá-la com óleo mineral ou água morna.

Alimentação

– As pessoas que não estão se alimentando bem precisam receber uma complementação alimentar para que não fique com deficiências que podem deixar a pele mais frágil. Consulte um nutricionista sobre o uso de suplementos (ex.: sustacal, sustagem etc);
– Quando for alimentar a pessoa acamada, manter a cabeceira da cama elevada (de 30 a 45 graus) ou em posição sentada para evitar pneumonia.

Posicionamento na cama

O posicionamento adequado e uso de técnicas corretas para transferência da pessoa da cama para cadeira e mudança de decúbito podem diminuir o risco de causar uma ferida. A pessoa precisa ser levantada ao ser movimentada e nunca arrastada sobre o colchão, o atrito é uma das causas das escaras;

– Use o forro da cama para movimentar (ao invés de puxar ou arrastar) a pessoa que não consegue ajudar durante a transferência ou nas mudanças de posição.
– A mudança de posição ou decúbito deve ser feita pelo menos a cada duas horas se não houver contraindicações relacionadas às condições clínicas do paciente. Anotar os horários para evitar esquecimentos;
– Travesseiros ou almofadas de espuma devem ser usadas para manter as saliências ósseas (como os joelhos) distante do contato direto. Os calcanhares devem ser mantidos levantados da cama usando um travesseiro debaixo das panturrilhas;
– Quando estiver em posição lateral deve-se evitar a posição diretamente sobre a região lateral da coxa;
– A cabeceira da cama não deve ficar muito tempo elevada para não aumentar a pressão nas nádegas;
– Quando a pessoa ficar sentada em cadeira de rodas ou poltrona use uma almofada de espuma, mas nunca use almofadas que tem um orifício no meio (boia/ roda d´água) pois elas favorecem a ocorrência da ferida;
– Se possível, utilize um colchão especial que reduz a pressão como colchão de ar alternado (pneumático). O colchão caixa de ovo aumenta o conforto, mas não reduz a pressão. Para a pessoa que já tem a escara o indicado é o colchão de ar alternado (pneumático).
– Não ficar sentada durante muito tempo em qualquer cadeira. As pessoas que são capazes, devem ser ensinadas a levantar o seu peso a cada 15 minutos, as que não conseguem devem ser levantados por outra pessoa ou levadas de volta para a cama.

Avaliação da pele

– Diariamente a pele da pessoa acamada deve ser examinada. Se apresentar início de problema (vermelhidão, roxidão ou bolha) não deixar a pessoa sentar ou deitar encima da região afetada e descobrir a causa do problema para que não se agrave.
– Para o tratamento da escara é preciso a avaliação do profissional de saúde qualificado. Caso ocorra uma ferida, não deixe a pessoa deitada ou sentada

Enfermeiro estomaterapeuta
Comissão de Prevenção e Tratamento de Lesões Cutâneas- Instituto Mário Penna

Compartilhe essa notícia:
Outras notícias de Saúde e Câncer